TESTEMUNHO
 
Descreva seu Testemunho!
Nome
Cidade
Estado
Título
E-mail
Telefone
Mensagem
        
 MILAGRE DE SÃO FREI GALVÃO
Autor:  Irmã Maria Antônia de Alencar, OIC
Cidade/Estado:   Uberaba/MG

Em 1945 após três meses da minha entrada no Mosteiro Concepcionista em Sorocaba/SP, no terceiro Domingo do mês de Outubro estando em meditação no Coro sofri uma forte hemorragia no olho direito. Não podia ler e a visão comprometida vendo tudo deformado. No dia seguinte a Revda. Madre Maria Virgínia chamou o médico oftalmologista. Ele depois de ter examinado o meu olho não deu esperança de recuperação, pois estava acompanhando o tratamento de dois rapazes que sofreram o mesmo problema e não se recuperaram. Receitou-me uma Vitamina K para tomar até o dia da próxima consulta. Madre Cândida, Vigária do Mosteiro e grande devota de Frei Galvão, durante 09 dias rezou 03 Ave-Marias a Nossa Senhora e a Frei Galvão, pedindo a cura do meu olho e dava-me para tomar uma pílula de Frei Galvão. A mancha escura do meu olho direito foi se dissolvendo ficando um círculo alaranjado até desaparecer. Quando o médico voltou após alguns dias ficou surpreso com o desaparecimento da mancha e a Madre Cândida revelou que tinha sido milagre de Frei Galvão e do uso das pílulas. O médico disse então à Madre Cândida: “Se a senhora quiser eu dou um atestado confirmando o milagre de Frei Galvão”. O nome do médico oftalmologista era Dr. Nilton Tavares.
Irmã Maria Antônia de Alencar, OIC
Uberaba, 14/11/2010

 Meu Testemunho
Autor:  Sérgio Ricardo Abrão
Cidade/Estado:   Uberaba/MG

Estou concluindo o 2º ano de Residência Médica e o decorrer de 2009 foi marcado por dedicação intensa aos estudos direcionados para a prova de sub-especialidade. Lembro que nas 3 primeiras provas eu tremia, estava extremamente nervoso, errando questões que sabia. Essa sequência de insucessos me deixava ainda mais nervoso agravando a situação inicial. Procurei o conforto da minha mãe que acompanhava tudo de perto. Fomos à Medalha Milagrosa onde tive o imenso prazer de conhecer e conversar com as Irmãs. Ela me escutou com muito carinho, interesse e amor, fez uma oração comigo e por fim perguntou: - Você tem fé? Notando a resposta positiva me apresentou a Santa Beatriz da Silva numa rápida biografia evidenciando sua poderosa intercessão pelos seus fiéis. Ganhei também um livro de poesias escrito pela Irmã e a Novena em Honra de Santa Beatriz. Logo em seguida realizei minha 4ª prova, em São José do Rio Preto, lugar onde inclusive tinha preferência por ficar. Não tremi, estava extremamente calmo, com uma paz interior tão grande que nem parecia estar diante de uma prova. Hoje recebi o resultado, fui aprovado, e venho através desse testemunho agradecer à Santa Beatriz da Silva pela intercessão. Gostaria também, Irmã Maria Antônia, deixar um abraço especial para você. Suas palavras amiga e sua oração ficarão marcadas eternamente em minha memória.

 Agradecimento
Autor:  Maria José Damasceno
Cidade/Estado:   Uberlândia/MG

Quero agadecer à Nossa Senhora da Medalha Milagrosa por uma grande graça alcançada nesses últimos dias. Foi a cura da minha filha Daiane que teve uma embolia pulmonar. Eu pedi à Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e ela esta ótima. Graças a Deus e à Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. Amém!

 Para Nossa Senhora das Graças
Autor:  Ivete Pereira Rabelo de Oliveira
Cidade/Estado:   São Carlos/SP

Venho agradecer Nossa Senhora por ter alcançado uma graça. Pedi que meu filho Victor Hugo entrasse numa fábrica. Eu fui na casa de uma amiga e ela me deu a Medalha e eu falei para ela que aquela Medalha ia me ajudar. Peguei com tanta fé que eu nem consigo acreditar! No terceiro dia da novena meu filho foi chamado para uma entrevista, fiquei muito feliz e pedi para Nossa Senhora abrir as portas. Ele já vai começar trabalhar. Agradeço muito à Nossa Senhora pela graça que pedi com muita fé, esperança. Eu só queria receber outra Medalha, quem ler esse pedido me manda por favor. Agradeço a todos, obrigada por tido minha Santa querida. Meu endereço é Rua Sebastião Adão Júnior - Jardim Maracanã, nº 307 - São Carlos/SP - CEP: 13571- 300. Obrigada.

 Meu sobrinho foi salvo por Ela
Autor:  Eliete de Fátima Moura
Cidade/Estado:   Curimataí/MG

No dia vinte e quatro de dezembro de dois mil e quatro, eu estava trabalhando quando recebi a notícia que meu sobrinho de um ano e cinco meses tinha se queimado com leite quente. A tia dele havia fervido o leite e colocado em uma fruteira, dessas de três partes, no chão e ele passou e esbarrou na fruteira, o leite virou sobre ele, queimando ombro, costas e pernas, respingou um pouco no rosto também. Nas costas, por ele estar de fralda descartável, o leite parou e a queimadura foi ainda pior. Eu chorei muito ao saber, e rezava sem parar, pedindo a Deus que não deixasse que nada de mal acontecesse a ele. Foram horas angustiantes para todos, principalmente para minha mãe, minha irmã Elaine e Eudenice, mãe dele, que foram junto com ele para o hospital.

Ele se queimou por volta de dez horas da manhâ e foi ser atendido no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte por volta de oito horas da noite. Ele já não chorava mais, pois, sua dor ultrapassou os seus sentidos. Ao chegar no hospital ele foi atendido e o médico falou com minha mãe que o caso dele era gravíssimo e que ele corria o risco de não aguentar porque as queimaduras foram muito profundas e ele temia que tivessem atingido órgãos dele.

Minha Mãe ficou desesperada e ligou para Curimataí pedindo a todos que rezassem por ele, minha agonia só aumentava. No outro dia minha irmã ligou e falou que ele estava sofrendo muito e que enquanto o médico e as enfermeiras limpavam as feridas, retirando a pele das queimaduras ele gritava meu nome e pedia que eu o socorresse, neste momento chorei muito, desliguei o telefone e "falei" com Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, que eu naquele momento estava longe e não poderia fazer nada por ele, mas Ela poderia, então, com muita fé pedi a Ela que fosse lá onde ele estava e cuidasse dele pra mim, que o socorresse em meu lugar, que aliviasse sua dor, que não deixasse ele morrer e nem ficar com nenhuma sequéla daquela queimadura e prometi a Ela que se Ela fizesse isso eu o levaria no Santuário Dela em Uberaba, para que Ela o visse, saudável e perfeito.

Graças a Deus e a Ela, ele melhorou, depois de 14 dias ele saiu do hospital apenas com as cicatrizes sem nebhuma sequéla. Quando ele chegou em Curimataí eu fui correndo visitá-lo ele sorriu pra mim, perfeito como sempre foi, eu chorei, chorei muito e agradesci a Deus e a Nossa Senhora da Medalha Milagrosa por estar vivendo aquele momento: poder vê-lo em casa, vivo, saudável e perfeito.

No dia vinte e sete de março deste ano (2010) fui em Uberaba levar meu sobrinho para minha Mãezinha do céu ver o milagre que Ela fez, foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida, quando, na entrada do Santuário, eu me ajoelhei e segurei sua mãozinha para entrar no Santuário, ele se ajoelhou também e disse: tia Eliete eu também vou assim. Nós entramos no Santuário de joelhos e de mãos dadas e quando chegamos ao altar e eu contei para ele porque nós estávamos lá, e disse a ele que devíamos agradecer àquela Santinha que o salvou, ele olhou para Ela e falou: Obrigado.

Obrigada minha Mãezinha por ter mim atendido em um momento tão difícil e por eu ter meu sobrinho Jonas Gabriel dos Santos Moura ao meu lado, por poder vê-lo crescer tão lindo e tão feliz. Eliete de Fátima Moura - Curimataí, MG.

 Quadra 03 mr 02 casa 09 setor leste
Autor:  Beatriz Aparecida Pereira
Cidade/Estado:   Planaltina/GO

Quero dar meu testemunho de uma grande graça dentre muitas que recebi para minha mãezinha Isaira Alves do Carmo a muitos anos atrás. Em 1990 minha mãe teve 3 tumores no útero que se não operasse em 15 dias ela morreria, desesperada recorri a Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e fui atendida, enquanto tiver vida darei graças a nossa Mãe por sua intercessão a Deus e hoje posso testemunhar com alegria. Amém.